School of Sufi Teaching

Escola de Ensinamento Sufi

Práticas Naqshbandi, Mujaddidi, Chishti, Qadiri e Shadhili

Support the Sufi School
Sufi School is a non-profit charity involved in creating awareness about Sufism and providing authentic Sufi teachings to sincere seekers.

All the teachings are given free of cost and students are not charged for attending our weekly gatherings for teaching, mentoring, discussions and group practices.

Our activities are carried out through voluntary donations. We request you to donate generously to support our work. Any amount of donation to help us to continue this good work will be appreciated and thankfully accepted.

PayPal
Use PayPal to send a donation to the School of Sufi Teaching.

A PayPal account is not mandatory, credit cards are accepted as well.

Amazon Smile
Select the School of Sufi Teaching as your charity on Amazon.

Amazon will donate 0.5% of any purchases you make to us, without any extra cost to you.

Wire transfer
Name: School of Sufi Teaching
Account Number: 11397222
Sort Code: 40-03-16
Bank: HSBC UK
Address: 85 Lewisham High Street, Lewisham, London SE13 6BE
IBAN: GB47HBUK40031611397222
BIC: HBUKGB4140T

Centros Sutis de Consciência (Lata’if)

Via de regra, sempre se considerou que o corpo humano contém apenas um centro sutil de consciência: a mente ou o cérebro. Porém os Sufis mais antigos, através de suas experiências espirituais, descobriram outros centros de percepção ou sentidos internos os quais chamaram de lata’if (singular: latifah). Concluíram também, baseados em seu kashf (conhecimento intuitivo), que existem dez lata’if.

As origens dos lata’if retratam a origem do universo como um todo. Segundo o Sheykh Ahmad Faruqi Sirhindi (r.a.), o mestre indiano do qual descende a linhagem Mujaddidi, Deus criou o universo em duas fases. Primeiro surgiu o ‘alam’i amr (o mundo do comando de Deus), o qual emergiu instantaneamente quando Deus disse “seja!”. Deus criou então o ‘alam’i khalq (o mundo da criação) através de um processo de evolução que durou muitos anos. Após o ‘alam’i khalq, Deus criou o homem. Deus conferiu a essa nova criação determinadas faculdades ou pontos de luz internos; os lata’if. Cinco dos lata’if – nafs (eu), bad (ar), nar (fogo), ma’ (água) e khak (terra) – fazem parte do mundo do universo. Os outro cinco qalb (coração), ruh (espírito), sir (secreto), khafi (oculto) e akhfa (mais oculto) – fazem parte do mundo do comando de Deus.

Os lata’if eram inicialmente luminosos. Quando Deus os conectou ao corpo, sua luz começou a ser filtrada pelas influências do mundo físico, incluindo a tendência humana de identificação com a materialidade. O escurecimento da nossa luz natural interna é mencionado na passagem 95:4-6 do Corão: “Certamente criamos o homem na mais perfeita proporção; então o reduzimos à mais baixa das escalas; salvo os fiéis que praticam o bem, pois esses terão uma recompensa infalível”. Através das práticas de concentração nos lata’if, o aspirante Sufi torna-se capaz de utilizá-los para alcançar uma consciência maior da Presença do Divino. Quanto mais o aspirante desenvolve sua habilidade, menos a luz do seu conhecimento obscurece.

Assim como a faculdade da memória, os lata’if são faculdades que podemos sentir e vivenciar, mas não podemos explicar. Como se define a memória? Pode-se dizer que está no cérebro – pode-se até descrever sua ação fisiológica  – mas essas descrições não transmitem todas as suas dimensões. Algumas vezes a pessoa perde a memória devido a enfermidades; ela se torna ainda mais consciente da sua importância, contudo sua capacidade de defini-la não se amplia. Da mesma forma, os lata’if não podem ser devidamente definidos em palavras; mas quando a pessoa os traz à luz, ela passa a entendê-los.

As diversas ordens Sufi associaram os lata’ifa a vários locais do corpo. A ordem Naqshbandi-Mujaddidi localiza os cinco centros do mundo do comando de Deus (os lata’if do ‘alam’i amr) no peito. O coração, ou qalb, está no lado esquerdo do corpo, cinco centímetros abaixo do mamilo. O espírito, ruh, está na posição correspondente no lado direito do peito. O centro sutil chamado secreto, ou sirr, está no mesmo lado do coração, mas acima do peito. O oculto (khafi) está no lado direito acima do peito. O mais oculto (akhfa) está no meio do peito, entre o coração e o espírito.

Os sheykhs da ordem Naqshbandi-Mujaddidi orientam o salik (viajante espiritual) a iluminar os lata’if um de cada vez. Isso é realizado fundamentalmente através da muraqabah (meditação). Sentado, o aluno faz uma intenção (niyah) em se ater a um centro sutil específico. Inicialmente ele foca o coração (qalb) depois em outro lata’if do mundo do comando de Deus: espírito, secreto, oculto e o mais oculto (ruh, sirr, khafi, e akhfa). Quando estes centros estão plenamente iluminados, o aluno atém-se aos lata’if associados ao mundo do universo (‘alam’i khalq). 

Entre os centros sutis conectados ao mundo do universo, considera-se que somente o eu ou nafs é correspondente a um ponto específico no corpo humano; ele se localiza no meio da testa. É o primeiro lata’if do ‘lam’i khalq a ser refinado pelo estudante porque é a somatória de todos os outros. Após concentrar-se no eu por algum tempo, o estudante é logo guiado a se concentrar nos quatro elementos primordiais que constituem o corpo humano – ar, fogo, água e terra (badnarma’ e khak). Quando esses se impregnam de luz, todos os poros do corpo se iluminam e começam a se lembrar de Deus.

Total
0
Shares
Voltar

Onde outros terminam, lá marca o nosso começo

Próxima

As Práticas

Posts relacionados
Leia mais

As Práticas

O objetivo do Sufismo é o desenvolvimento de certas qualidades nobres, como a purificação do eu, purificação do coração, regras morais, o estado de realizar o que é bonito (ihsan),  proximidade a Deus, gnose (ma’rifat), aniquilação (fana) e subsistência (baqa).…
Leia mais

Onde outros terminam, lá marca o nosso começo

A técnica Indiraj al-nihayat fi’l-bidayat, que significa “onde outros terminam, lá marca o nosso começo”, é utilizada na ordem Naqshbandi-Mujaddidi para descrever uma sequência típica de práticas espirituais. Introduzida pelo Sheykh Baha’uddin Naqshband (r.a.) no século XIV, foi criada para ajudar a…
Leia mais

Transmissão Espiritual (Tawajjuh)

Muitos estudiosos consideram que os três contatos do Anjo Gabriel (as) durante a primeira revelação ao Profeta (saws) foram uma forma de transmissão. Podemos concluir que o conhecimento de Deus trazido por Gabriel (as) iniciou com a transmissão. O Profeta…
Leia mais

Afinidade Espiritual (Nisbat)

A palavra nisbat em árabe significa afinidade ou conexão entre duas pessoas. Na terminologia Sufi, é a afinidade que se desenvolve entre Deus e o ser humano. A essência do Sufismo é que a pessoa deve desenvolver uma qualidade ou virtude até…